Tempo de leitura: 5 minutos (918 palavras)
Destacado 

A Atuação do Psicólogo Clínico em Frente às Dificuldades de Aprendizagem

psicologia-educacional-escolar

Antes de falar de aprendizagem é necessário falar os seus três tipos descritos pela análise do comportamento. Existe a seleção de comportamentos filogenética, ontogenética e cultural.

A Filogenia tem a ver com as influências biológicas com as quais o sujeito interage. São comportamentos repassados de geração para geração que tem um valor claro de sobrevivência. Exemplo: fechar os olhos na presença de um estímulo luminoso muito forte.


A Ontogenia dialoga com as experiências pessoais de cada sujeito. A partir de suas interações com o ambiente comportamentos são selecionados (quando reforçados positivamente ou negativamente) e tendem a ter baixa frequência quando punidos ou extintos. (Lembrando que extinção é deixar um comportamento sem consequência).

A Cultural recebe influências do meio social em que o sujeito está inserido. Dessa forma, se uma determinada cultura valoriza a religião católica o sujeito tende a adotar esse estilo de espiritualidade.

Fazer com que o aluno aprenda costuma ser a maior preocupação dos professores no âmbito escolar e até mesmo de todo o corpo pedagógico, e fazer com que os três níveis de seleção dialoguem formando uma boa taxa de respostas de comportamentos adequados e uma baixíssima de comportamentos inadequados se mostra um grande desafio. Segundo Skinner (2005), a aprendizagem é uma mudança na probabilidade de resposta, devendo especificar as condições sob as quais ela acontece.

Sendo assim, o grande desafio do professor é criar condições favoráveis para as consequências do comportamento. Criando contingências para que o comportamento desejado seja selecionado.

Outro fator norteador da aprendizagem é a modelagem, partindo de onde o aluno já sabe e aprimorando as suas respostas até que consiga emitir os comportamentos adequados para o contexto em que está inserido. Para a modelagem é necessário fazer a linha de base, que consiste em propor exercícios para partir de comportamentos que o sujeito já consegue emitir sem dificuldades para repertórios que lhe pareçam inicialmente complexos.

Também por falha por parte de pouco domínio de processos comportamentais, fala-se muito de dificuldades de aprendizagem enquanto a dificuldade não está no aluno mas na metodologia que está sendo usada para que este sujeito aprenda.

Segundo Souza (1997) em pesquisa realizada em 8 unidades de saúde na região sudoeste da cidade de São Paulo, 71 % dos encaminhamentos feitos para atendimento psicológico na faixa etária de 5 a 14 anos, apresentavam como queixas problemas escolares. Os 71% são compostos de duas categorias: 50% referiam-se a problemas de aprendizagem e 21% a problemas de comportamento. Esses dados evidenciam que caso feita uma análise funcional do comportamento do estudante a sua aprendizagem pode ser evoluída de forma articulada e progressiva, não representando nenhum sacrifício nem para o professor e muito menos para o aprendiz. 

O que são dificuldades de aprendizagem? 

As dificuldades de aprendizagem referem-se q barreiras que podem ter origem cognitiva, emocional, institucional ou cultural. Segundo Smith (2007), o termo dificuldades de aprendizagem refere-se não a um único distúrbio, mas a uma gama de problemas que podem afetar qualquer área do desempenho acadêmico.

Essas dificuldades podem ser de concentração, orientação espacial, leitura e escrita, por exemplo, e podem afetar a forma como o indivíduo processa informação. 

O que causam as dificuldades de aprendizagem?

Essa é uma questão que não possui uma resposta simples. Muitos fatores contribuem para a s dificuldades de aprendizagem, que pode m ter origens físicas, emocionais e sensoriais.

As dificuldades de aprendizagem são diagnosticadas através de uma longa avaliação com uma equipe multidisciplinar. É comum que os professores primeiramente percebam alguma dificuldade do indivíduo em sala de aula.

O diálogo entre professores e pais se faz necessário para identificar o quanto antes qualquer dificuldade de aprendizagem por parte da criança.

Após diagnóstico, as estratégias de tratamento irão depender das características da dificuldade de aprendizagem. Estas estratégias podem incluir família, professores, fonoaudiólogo, psicocopedagogo s , psicomotricista s e psicólogo s , por exemplo.

Qual o papel do psicólogo clínico diante da dificuldade de aprendizagem?

Muitos aspectos diferentes podem prejudicar o funcionamento cerebral, e os problemas psicológicos desses indivíduos são frequentemente complicados por seus ambientes doméstico e escolar. Nesse sentido faz-se relevante o papel do psicólogo clínico no atendimento de indivíduos com dificuldades de aprendizagem.

As dificuldades de aprendizagem têm um impacto negativo a nível psicológico. É comum que os indivíduos apresentem desmotivação, ansiedade, tristeza, frustração.

Dessa forma, o objetivo principal é proteger a auto-estima do indivíduo com dificuldades de aprendizagem, trabalhar habilidades metacognitivas, habilidades sociais, habilidades para lidar com as emoções, alternativas para agressividade, habilidades para lidar com estresse, habilidades de planejamento.

O papel do psicólogo clínico também é focado no trabalho com os membros da família do indivíduo com dificuldades de aprendizagem a fim de ajudá-los a lidar de forma apropriada com os problemas de aprendizagem e de comportamento do indivíduo. Além da participação dos psicólogos da área escolar educacional que participa da formação de professores, reformulações de LDB's, participam de reuniões com o corpo pedagógico afim de colaborar com a aquisição de metodologias ativas que estimulem a aprendizagem.

Sendo assim, é possível compreender a relevância da discussão da participação do psicólogo no contexto educacional assim como o acompanhamento durante toda a fase escolar do indivíduo. Tendo o fim de promover o bem-estar, desenvolvimento saudável e cultivo de relações que ajudem o sujeito em sua construção consigo mesmo. 

Referências:

SKINNER, B. F. Teorias de Aprendizagem são necessárias? Revista Brasileira de Análise do Comportamento. V1, n1, 2005.

_____________. Ciência e Comportamento Humano. Brasília: Ed. UnB/ FUNBEC, (1953), 1970.

SMITH, Corinne. Dificuldades de Aprendizagem de A a Z: um guia completo para pais e educadores. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SOUZA, M. P. R. (1997). Psicologia Escolar: em busca de novos rumos. São Paulo: Casa do Psicólogo. 

1
A Influência da Fenomenologia na Gestalt-Terapia
A Psicanálise e o Complexo de Édipo

Textos Relacionados

 

Comentários (0)

Nenhum comentário foi feito ainda, seja o primeiro!

Deixar seu comentário

  1. Postando o comentário como visitante. Cadastre-se ou faça login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Share Your Location
Digite o texto apresentado na imagem abaixo. Não consegue ver?

Relacionados

Fique por Dentro

Junte-se aos leitores inteligentes que recebem nossas novidades direto no e-mail:

Textos de Psicologia em Destaque:

Portal Psicologia