Dicionário Psi

Aqui você encontra as definições dos termos mais comumente usados em Psicologia.

Tato

Resposta verbal controlada por estímulos discriminativos não verbais. Possui reforçador generalizado e beneficia mais o ouvinte, podendo ser exemplificado como avisos ou conselhos.

Técnicas Expressivas

São técnicas da Gestalt-terapia que estimulam o sujeito a “mostrar-se como se é”. Essa técnica se utiliza de recursos, como estimular a expressão do cliente, minimizar a ação supressiva, convidar o cliente a expressar algo que evita, traduzir em palavras uma expressão não verbal, dentre outras. Ela visa favorecer a diretividade da expressão, superando os mecanismos de evitação.

Técnicas Integrativas

São técnicas da terapia da Gestalt que tem como objetivo trazer algo que estava dissociado à awareness. Ela pode se utilizar de técnicas que visam integrar as vontades e necessidades internas e conflitantes da pessoa, tornando assim consciente as suas necessidades, reconhecendo-as em uma hieararquia de “prioridades” entre as necessidades que se apresentam em campo. Ver Teoria de Campo.

Técnicas Supressivas

São técnicas da terapia gestáltica que visam parar com qualquer atividade do indivíduo que o impede de vivenciar sua experiência do momento presente. Isso ocorre através do processo de tornar consciente, facilitada pelo terapeuta, e posterior supressão dos mecanismos de evitação, dos quais o sujeito se utiliza.

Tendência à Auto-Atualização

Se caracteriza por um aspecto básico da natureza humana, que leva uma pessoa em direção a uma maior congruência e a um funcionamento realista. Além disso, este impulso não é limitado aos seres humanos; é parte do processo de todas as coisas vivas.

Tendências Neuróticas

Na teoria de Karen Horney representam categorias de comportamento e atitudes que servem para controlar a ansiedade básica. Elas surgem a partir dos mecanismos de autoproteção das necessidades neuróticas, e envolvem atitudes e comportamentos compulsivos, a pessoa se vê impelida a se comportar de acordo com pelo menos uma das suas necessidades neuróticas. Horney descreveu 3 tipos de tendências neuróticas

Teoria da Ação

Consiste nas próprias ações e nos processos que levam as ações. Consiste no fato de, inicialmente, o individuo possuir um desejo de ter ou realizar uma coisa e esse desejo faz com que ele crie metas para alcançar esse objetivo. É a elaboração de um plano para realizar uma tarefa.

Teoria da Aprendizagem Social

proposta por Albert Bandura; a teoria versa sobre a aprendizagem que enfatiza o papel da observação e da imitação dos comportamentos de outras pessoas.

Teoria da Autopercepção

Ideia de que as pessoas observam a si próprias para compreender as razões pelas quais agem de uma determinada maneira; as pessoas inferem quais são seus estados internos percebendo como estão agindo em uma dada situação.

Teoria das Relações Objetais

Teoria Psicanálise que se originou a partir da visão de Melanie Klein de que os principais elementos para a forma como as pessoas experimentam o mundo surgem a partir de suas relações com objetos amados e odiados (pessoas significativas em suas vidas).

Teoria de Campo

A Teoria de Campo de Kurt Lewin traz a visão do comportamento humano como resultante do conjunto de fatores que coexistem no ambiente. Esse conjunto de fatores constituem uma relação dinâmica e de interdependência que recebeu o nome de campo psicológico (definido pela forma como o sujeito interpreta o que lhe é externo e a partir daí direciona um comportamento). O homem não existe sem estar em relação com um campo (o conjunto de fatores coexistentes no ambiente) assim como o campo não existe sem a interação do ser humano.

Teoria Organísmica

Segundo Goldenstein, esta teoria supõe que o ser humano tende a satisfazer as suas necessidades e reorganizá-las de formas criativas as organizando em uma hierarquia. 

Teoria X

É uma teoria que foi desenvolvida por Douglas MacGregor, e tem como base a convicção a respeito do comportamento humano nas organizações, antagonizando a Teria Y. Nessa teoria, os comportamentos são baseados no estilo tradicional, excessivamente mecanicista e pragmática, priorizando a recompensa pela consecução do trabalho, o que indicaria que os trabalhadores iriam assim não só aprender as responsabilidades, mas também procura-las (FERREIRA, REIS e PEREIRA, 1999). Nesse caso, o salário funcionaria como recompensa. 

Teoria Y

É uma teoria desenvolvida por Douglas MacGregor que, diferente da Teoria X, tem um estilo baseado nas concepções modernas a respeito do comportamento humano no trabalho.

Teoria Z

É uma filosofia de administração proposta por William Ouchi, predominante emempresas japonesas e norte-americanas, concentrando-se nos aspectos comportamentais e organizacionais da organização. Segundo essa teoria, as empresas devem seguir os seguintes pressupostos: relação empregatícia permanente, avaliação e promoção permanente, carreiras não especializadas, mecanismos de controle implícitos, tomada coletiva de decisão, responsabilidade coletiva e preocupação pelo conjunto (MACHLINE, 1983).

Procurar no Dicionário:

Buscar termos do glossário (expressão regular permitida)

Veja Também:

Portal Psicologia