Pulsão

Pulsão

Pulsão é um conceito limite em que se articula o psíquico e o somático (biológico), os componentes das representações imagéticas e dos afetos humanos, algo que opera dentro e fora ao mesmo tempo, circulante, nas bordas e nas profundezas da constituição do sujeito.

 

Ela (pulsão), portanto corporal, mas se fazendo representar psiquicamente, está sempre em busca de satisfação, mesmo que parcial no humano. Atualmente o termo pulsão ganha status na teoria psicanalítica como o elemento mobilizador do sujeito, uma vez que o desejo oriundo da falta constituinte do humano devido a perda imaginária do objeto, promove o movimento da pulsão e seus destinos, descrito por Freud, a saber, a transformação em seu contrário, o redirecionamento para a própria pessoa, o recalque e a sublimação.

 

As pulsões possuem alguns componentes de referência segundo Freud, que são a Pressão: fator motor do instinto; Finalidade: busca da satisfação; Objeto: é a coisa em relação a qual ou através da qual o instinto é capaz de atingir sua finalidade; Fonte: processo somático que ocorre num órgão ou parte do corpo. Freud em seus trabalhos, nos artigos metapsicológicos, fala de instintos dividindo-os basicamente em pulsões de autopreservação (pulsões do ego) e pulsões sexuais. Porém é em além do princípio de prazer, que redimensiona a questão e propõe e classificação entre pulsões de vida (sexuais) e pulsões de morte.

Procurar no Dicionário:

Buscar termos do glossário (expressão regular permitida)
Portal Psicologia